CD – Crossdresser, é uma arte que as vezes dói

Ser crossdresser num país como o Brasil, é ser chamado de bicha, o tempo todo, se colocar a cara fora do armário.

O crossdressing (ou travestismo, no Português Europeu, e frequentemente abreviado para “CD”), não está relacionado com a orientação sexual, e um crossdresser pode ser heterossexual, homossexual, bissexual ou assexual. O crossdressing também não está relacionado com a transexualidade.Fonte: Wikipedia

Há muitos anos, me interesso por essas pessoas, que vivem em constante “sofrimento”. Pois desde a descoberta de seus gostos em se vestir como o sexo oposto, vivem o medo de serem descobertos a vestir roupas da mãe, das irmãs.. também, eles próprios, no início, vivem o conflito, sem saber onde se colocar, intimamente, entre os grupos. Em sua maioria os CDs não são homossexuais, o conflito interior, em gostar de roupas femininas e ao mesmo tempo, sexualmente, gostar de mulher, os deixavam confusos.

Com o advento da internet, muitos começaram a compreender, esse lindo fetiche. Vendo pessoas famosas como o Laerte, se assumindo publicamente.

E agora, venho eu, uma Domme.. uma S/O (Supportive Opposite), que para ajudar a essa turma, teve a idéia de juntar aqui, meus pensamentos, e alguns cursos, que notei, seriam ótimos para as minhas queridas e lindas CDs.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *