Claudia Regina: Primeira CD a contar sua história.

Bem eu sugeri.. e a Claudia de pronto, aceitou.. então vamos começar com ela.. Obrigada Claudia, por ter aceito o meu convite.. 🙂

E a Claudia começa assim, a sua história de vida de CD..

“Minha história começa aos 10 ou 12 anos de idade como uma curiosidade, usando uma peça de roupa de minha irmã.

Aquilo mexeu comigo, na época e não sabia o que fazer, mas fiz escondido por um tempo.

Após uma mudança para outra casa, recomeçou tudo com mais intensidade e eu comecei a usar as roupas da minha irmã e mãe.

Às vezes ficava dias sem me vestir e precisava me ocupar com algo para “esquecer” do meu vício. Mas como se sabe, quando se começa algo que se gosta tanto, é impossível largar.

Minha primeira roupa adulta que eu usei foi da minha mãe e na época eu tinha 15 anos.

Era um sutiã com enchimentos, calcinha, uma camisa roxa de manga longa com gola e um laço, além de uma saia longa jeans, meia calça e um salto alto que mal cabia no meu pé, pois sobrava espaço.

Algum tempo depois eu fui descoberta graças a boca grande do meu primo. Minha mãe e meu pai não gostaram da descoberta e meu pai ficou que nem cão de guarda me vigiando.

Anos se passaram e novamente fiquei sem me vestir. Após o divórcio dos meus pais, aos poucos eu pude voltar ao meu vício. ficava sozinha e aproveitava como podia e não tinha maquiagem.

Mais uns anos se passaram e eu comecei a trabalhar como autônoma. Ganhando algum dinheiro eu pude começar a comprar algumas peças de roupas, escondidas de minha mãe.

Cinco anos se passaram e através do falecido orkut, eu conheci uma grande amiga que é trans e que mais tarde eu iria conhecê-la na capital do meu estado.

A foto acima é da minha primeira vez em um pub LGBT.

Éramos 7 ou8 pessoas, a roupa era minha mas a maquiagem e a peruca foram emprestadas por essa grande amiga(na época eu amei a peruca)

Outras viagens a capital e idas a boates LGBT’s foram feitas e o look da segunda foto foi usado para sair, junto com um casaco, claro.

Em 2009 eu criei coragem e contei a minha mãe sobre o meu lado feminino. Ela tinha desconfiança e eu confirmei tudo.

Claro que não foi fácil pra ela e eu a entendo.

Quase um ano depois ela começou a aceitar e começou a me ajudar a fazer compras. Daí em diante eu me senti menos presa e finalmente eu pude ser quem eu queria ser.

Fui a um evento em 2013 e comecei a deixar o meu cabelo crescer. Tive mais força de vontade que paciência(kkkk), mas valeu a pena. As duas últimas fotos mostram o meu cabelo grande depois de 2 anos e pouco de muita força de vontade, com um ótimo resultado.”

É isso ai, Claudia.. valeu pela confiança em nos contar sua história.. é uma delícia conhecer a história de vida de vocês. Eu fico imaginando, o início desse sentimento, de querer estar vestida de menina, sendo menino e com a idade que isso começa, o conflito que tem dentro de cada uma.. Como as famílias reagem.. como vocês metem bronca e vão a luta.. e como vocês se cuidam..

É muito bom ler.. muito mesmo.

Então.. será que agora você vai se animar, depois de ler a história da Claudia, a nos contar a sua história.. com fotos? Não precisa mostrar o rosto, se não quiser ou puder.. mas conte para nós.. participe..

E participe também nos dando sua opinião, curtindo, comentando e respondendo…

Beijão procês..

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *